CELIA LAMOUNIER
PORTUGUÊS
TEXTOS
 
TEXTO

ENQUANTO HÁ VIDA
          Celia Lamounier de Araújo
 
Alguém sempre existirá de forma importante
de modo marcante nesta nossa tola vida.
Alguém sempre merecerá de forma sentida
de maneira querida um nosso elogio. 
          Enquanto há vida, amigo,
          ofereça rosas a todos que admira!

E rosas não são somente rosas
são palavras floridas e elogiosas
são o tempo doado por mãos bondosas
são a alegria e o orgulho pelas vitórias.

Cubra de rosas o ser admirado
para que não sinta o frio desta vida
Cubra de incentivos este ser amado
para que se agigante sem medida.

E rosas não são somente rosas
rosas são as cores da alegria
rosas são as palavras do dia a dia
rosas são nossa presença fugidia. 
          Ofereça rosas a todos que admira!

Isto porquê,
depois de findo o prazo
da curta convivência...

Para os que ficam
fica uma saudade imensa
um desejo de abraçar e ajudar
um remorso pelo pouco que se deu.

Fica um pranto infindo
pela grande incoerência
de querer dar rosas e,
só agora lembrar quem as mereceu.

Mas para quem se vai
a enfrentar o frio de outra vida
não resta nada...

Nem a beleza ou o perfume
Das rosas e das palmas
que o acompanham
poderá sentir.

Nem a tristeza e a dor
ou as palavras de saudade
banhadas em lágrimas
poderá ouvir.

E de tudo isso fica a certeza
de que enquanto há vida
é que existe muito tempo mesmo
para dar rosas e fazer sorrir.
          Ofereça rosas a todos que admira
          Enquanto estão aqui!
..............
Obs.- Este poema foi escrito para a festa Troféu de Gala Ipatinga MG e declamado na Feira da Paz/80 com fundo musical Loneliness; foi poema finalista no Concurso de Poesias Três Corações 1980; recebeu a Medalha de Ouro (1º. lugar) no Concurso Nacional de Poesia/Brasília 1981, entre 6218 concorrentes nacionais.
Publicado no livro SIRGAS E ORGANSINS e em varias antologias brasileiras.
=== CONVERSA com ITAPECERICA Celia Lamounier de Araújo – 06.10.86 Não mais aquela velha cidade velha do filme de Charles Chaplin passos lentos na Avenida, tropeços nas pedras, cavalos, tropeiros na porta, conversas aqui e acolá, coronéis, vitrolas, teatros, as roupas... Oh! As roupas daquele tempo! Nos carnavais pierrôs, colombinas, arlequins. cumprimentos com o chapéu, gentilezas de visita e trocas de quitutes, serenatas, botequins. Não mais aquela velha cidade velha. Tudo tiraram dela: nome, casas, museu, a idade, tiraram até a coragem de seus filhos “domesticados” que lutavam pela cidade... Com São Bento e União. celialamounieryahoo.com.br www.celialamounier.net/menu.htm ============================================   

TEXTOS e Livros de Celia Lamounier de Araújo ;jo 
Visite  www.celialamounier.net/menu.htm 

ABRAÇAR O MUNDO   -   Celiazul - Itapecerica MG
"Não é possível um só abraço universal
porém cada ser pode abraçar outros
atuando contra a violência e contra o mal" 

PERCURSO - (Cirandinha Grupo Ateneu) 
           Célia Lamounier em 19.04.04
"Percurso de um prazer
em noite dos poemas
é neles te encontrar." 

ALDRAVIA  -  Celiazul
Visão
sintética
da
aldravia:
contém
filosofia. 
 
PENSAMENTO Celiazul:
"De olhos bem abertos, a nação se cuide
para conservar seus momentos mágicos
de viver feliz no ideal da PAZ." 
 
=======================================   

artigo  -   A SINFONIA INDELÉVEL DE CÉLIA 
Por Marciano Vasques - SP  (publicado ano 2000 sobre o livro) 
          Celia Lamounier de Araujo, poetisa de Itapecerica MG, apresenta o seu livro PASSO A PASSO, com 26 poemas (ou fragmentos da alma!) e um epílogo, que na realidade são um único poema, com o mesmo número de cantos do poema "CÂNTICO" de Cecília Meireles, de quem ela faz questão de revelar a influência, ou melhor, a cumplicidade, no sentido de que são autoras ligadas pela estranha coisa chamada sentir. Lia Celia /Lia Cecília.
Seu escrito interestelar rapta o licor da harmonia, as cores das flores colhidas no campo, a distração inerente das estrelas no espaço, o brilho orvalhado de manhãs invernando o coração poetizada. Vê-se luminosos espantalhos de braços abertos, absorvendo cantos. Vê-se muito mais em sua doce poesia. Basta que o olhar despojado do despotismo do cotidiano seja acionado.
Acompanhar Celia significa seguí-la passo a passo e conversar com os pássaros, ver nascer a flor, conhecer o sorriso da criança, dar a mão ao velho, tudo simplicidade, pois assim é a autora, para quem não há palavras, apenas o número da perfeição.
Com formação religiosa (seu poema transbordante de Deus ejacula mansidão, lados e entardeceres!) a pesquisadora da cultura da sua terra quer mesmo a música das palavras, o sorriso que ilumina o dia, para falar de amor, esperança, paz, alegria.
Sua busca, sua sina: desejo de amor, vales, amizades. Não há nódoas em seus escritos, só água cristalina. Pelo seu riacho transparente, translúcido, penetra nas profundezas do coração a luz do sol. Suas palavras, com certeza, perfumadas.
Quem tem em sua biblioteca o livro SIRGAS E ORGANSINS e a reencontra na nova obra, já sabe como acender as luzes da alma e cantar a gloria de viver hoje, passo a passo. 

COLABORA em jornais, tem livros publicados, é fundadora de entidades literárias, recebe prêmios e mora numa praça em Itapecerica MG. Voa delicadamente para lugares, nos quais os leitores recebem seus livros com um beijo da brisa. 
      *Marciano Vasques é educador, escritor, poeta, autor de livros de literatura infantil,
colaborador em diversos jornais de SP.
======================================  
   

FILIADA ÀS ENTIDADES
OAB/MG n.º 55971 - Coordenadora da OAB-Mulher - Aposentada TCEMG
Presidente do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico de 97/00
Presidente sócia fundadora nº 13 da Acad. Itapecericana de Letras e Cultura
Membro fundador nº 13 da Academia de Letras de Ipatinga - 1978
Sócia desde 1980 da Academia Municipalista de Letras de MG - Amulmig
Sócia emérita ACLCL/ MG e Conselheira no CEMEG
Sócia Clube dos Escritores de Piracicaba SP n.º 38
Sócia Casa do Poeta Brasileiro - Poebrás/ BA
Sócia da International Writers Association
Sócia da Sociedade Brasileira de Pensadores PE
Sócia n.º 622 da REBRA - Rede de Escritoras Brasileiras 
Academia Internacional de Lexicografia - Divinópolis
SÓCIA CORRESPONDENTE 
Postal Clube - RJ - Brasil
Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais - IHGMG
Centro Trovadores Capixabas ES e Febet
Balaio Poético, Governador Valadares MG
Academia Petropolitana de Poesia Raul de Leoni RJ
Associação de Jornalistas e Escritoras Brasileiras - AJEB/RJ
Academia de Letras e Artes de Goias em 07.12.2013

JORNAIS
Editora dos jornais: Janelão - O Itapecerica - Quatro Bicas - Impacto
Colaboradora em jornais com suplementos literários 79/81:
Jornal Vale do Aço - Sempre - Transa - Diário do Aço - Diário da Manhã
No jornal Gazeta do Oeste de Itapecerica: coluna Movimento PAP-99/00
No jornal Tribuna do Vale coluna "Calado" em 2005/06. 

ALGUMAS PREMIAÇÕES
Homenagem do Projorin-PUC/72 como "jornalista"
Troféu de Gala 79/80 por Destaque em Poesia/Ipatinga
Medalha de Ouro 1981- 1º lugar no Concurso Nacional de Poesias Brasília
Destaque em Literatura/81 e 98 em Itapecerica.
II Concurso Nacional Poebrás/99 BA - Fotografando
Concurso Literário das Américas/00 AL - Atemporal
Colunista cultural 2000 pelo Francisletras/GO
Concurso Poebrás/GO - 4ºlugar - Soneto ao Sorriso e crônica
Concurso Poebras/01 - 2.º lugar - História de Bárbara Eliodora
III Concurso Piracicaba-SP/01 - Urgente
Vários Diplomas de HONRA AO MÉRITO: em Três Corações, Rio, Niterói, Divinópolis, Bragança Paulista, Varginha, Salvador, Goiânia, etc. 
3ª Menção Honrosa/89 no Concurso Nacional do Livro de João Pessoa PB
TROFÉU  Nelson Hungria em Belo Horizonte dia 03.10.03  
Trofeu - Lira Vintenária em 27.11.09 - Clube de Escritores Piracicaba SP 
Trofeu Carlos Drummond de Andrade 05.06.10 (ébook DezEncontros) - Itabira MG
Trofeu Gente que Faz em 06.11.10 - Santo Antônio do Monte MG
TROFEU Cecília Meireles em 04.06.11 - (livro Passo a Passo) - Itabira MG
Trofeu Mulheres de Expressão 2012 - 27.04.12 Juiz de Fora MG
Sarau p/Célia Esc Est Padre Herculano Paz Itapecerica MG em 29.05.12
............................